ferimentos de saída

pesquiso “poetry“. passo pela The New Yorker, Granta, Guernica, os intangíveis destinos do costume. ciberespaço. espaço volátil. perco-me. navego sem destino, ocorre-me. há portos por detrás da bruma, eu sei. leio um, dois, três pedaços de poemas. corpos imperfeitos, abandonados, que encontro, por aí. anoto alguns nomes. deparo-me com Vuong. rebatizado Ocean, pela mãe, que não sabia pronunciar “beach“. “bitch“, exprimia, com dificuldade. Vuong aprendeu a ler aos onze anos. o primeiro a fazê-lo de uma numerosa família de disléxicos. na fotografia da Wikipedia aparece triste e franzino. parece ter os lábios pintados. tem. um pouco mais abaixo uma linha: Vuong is openly gay.[6] uma linha que é um parágrafo. isolada na página. com um oceano de branco à volta. detenho-me nesta frase. penso em Sá Carneiro, Woolf, Chatwin, Proust, Rimbaud, Safo… [o que é que esta m… faz aqui?] os livros de Vuong têm títulos estranhamente belos, descubro. On Earth We’re Briefly Gorgeous, Night Sky with Exit Wounds. mas… Vuong is openly gay! openly! openly. open sea. open wide sea. ocean. oceano. oceano. que se f… salto para o Book Depository e compro o céu noturno com ferimentos de saída: pai, através das tuas feridas consigo ver as estrelas. gay and openly.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *