anfiteatro

as grandes cidades estão construídas para a fatalidade dos desencontros. note-se como as pessoas se colocam, perpendiculares à rua, e os que passam paralelos às montras. uma organização do espaço que existe para cortar a intersecção dos olhos. um golpe mineral do qual nascem sonhos de almas gémeas e de paraísos tropicais afogados em copos de papel. talvez se devesse criar transeuntes perpendiculares e montras projectadas sobre os passeios obrigando à colisão dos olhares. tornar a cidade num labirinto de solavancos e encontrões. de dor, talvez, a dor dos corpos que se abraçam.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *